sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Inventário XBLIG - JUN, JUL e AGO 2011

Analisemos o inventário de jogos de nave indies lançados nos meses de Junho, Julho e Agosto na plataforma Xbox Live (carinhosamente chamada de XBLIG). Minha intenção era ficar somente em Julho e Agosto, mas voltei mais um mês por causa de The Great Paper Adventure.

Vamos lá, dos mais velhos para os mais novos:

Horned Toad Hornswaggle (lançado em 5-JUN-2011, 80 MSP)
Shooter arena bem porcaria com telas estáticas, onde você joga como um lagarto mais estático ainda. O objetivo é tentar sobreviver comendo formigas enquanto você esguicha sangue nos inimigos e foge.
De acordo com o desenvolvedor, há cinco fases com cinco telas cada uma, recheadas de inimigos que vão de escorpiões, cobras, coiotes a insetos dos mais variados tipos.
Esse aqui é muito ruim, somente para masoquistas mesmo.


The Great Paper Adventure (lançado em 11-JUN-2011, 240 MSP)
Disparado o melhor jogo desta seleção, trata-se basicamente de uma versão melhorada de Border Wars, que tinha a mesma premissa mas não conseguiu ser tudo o que pretendia.
A ação é horizontal, com gráficos bacanas baseados em colagens de papel e um leque de inimigos completamente surreais. A primeira fase, por exemplo, é povoada por vacas de todos os lados. Há vários tipos de armas especiais e bombas. A música é bem grudenta, excepcional para quem curte trilhas sonoras old school.

Poopocalypse (lançado em 15-JUN-2011, 80 MSP)
Ideia estapafúrdia porém genial: pomba revoltada com a humanidade sai numa campanha mortal de cagação ao redor do planeta. Cague em cima de tudo e de todos enquanto voa da esquerda para a direita, e receba bônus especiais ao lambuzar pontos turísticos famosos como a Estátua da Liberdade.
O problema de Poopocalypse é que os controles são bizarros, e acostumar-se a eles é meio difícil. Não encontrei nenhuma informação sobre número de fases, então é factível assumir que o jogo não tem fim.
Talvez diferente e maluco demais, vale pelo menos uma espiada.

Mars Revenge (lançado em 22-JUN-2011, 240 MSP)
Clone descarado de Galaga, este joguinho tenta acrescentar valor ao produto por meio de uma infinidade de upgrades e armas especiais. É tudo muito estranho, e aparentemente o grosso da diversão fica escondido nas fases mais adiantadas porque você começa muito fraco. É preciso dezenas de tiros pra matar um daqueles míseros insetos espaciais.
Outra coisa estranha é o tempo de carregamento (loading), francamente abusivo para um jogo de gráficos tão primitivos. Ou seja, você tem que ser muito fã de Galaga pra dar uma chance a Mars Revenge.

Monster Shoot'n Monsters (lançado em 2-JUL-2011, 80 MSP)
Matar coisas coloridas como um doido sem recompensa alguma? Tô fora!
Mais um dos infindáveis clones de Geometry Wars, este aqui é uma lástima porque vem com vidas infinitas e nenhum sistema de pontuação. O mais triste é constatar que a concepção gráfica não é de todo ruim, já que o jogo foi feito pelos mesmos caras que entregaram o horizontal Monsters in Neon Space e tem um mínimo de charme visual.



TurboRocket (lançado em 12-JUL-2011, 240 MSP)
Um twin-stick arena adventure em que você vai de uma tela a outra eliminando inimigos. Infelizmente, os programadores tiveram a capacidade de arruinar um conceito tão simples e bacana.
Mais uma vez não há sistema de pontuação, e as vidas são infinitas. Além disso, há um retardo imbecil que você tem que aturar antes de começar cada uma das 58 fases do jogo, provavelmente um disfarce para o tempo de loading.
O estilo gráfico é minimalista, o que não é vergonha alguma. Vergonha é o que acabei de colocar mais acima.

Divine Justice Zero (lançado em 27-JUL-2011, 240 MSP)
Mais um equívoco que tinha boas condições de ser decente.
A estrutura deste aqui é esquisita porque cada uma das 6 naves que você escolhe está associada a uma fase específica de scroll horizontal, que é jogada independentemente das demais. É como se fossem 6 mini-jogos separados. A mecânica de jogo envolve aceleração e desaceleração para recuperar energia (!).
Alguns gráficos, como o da segunda etapa, são belíssimos, o que denota um verdadeiro desperdício de talento.

WispLisp Array of List (lançado em 10-AGO-2011, 80 MSP)
Joguinho japonês originado no PC, que consiste basicamente num score attack horizontal. Dois níveis de tiro, com disparo especial via absorção de itens e de balas inimigas.
O jogo fica bem difícil logo no começo, lembrando um Trouble Wicthes meio turbinado. Acho que não durei nem mesmo um minuto em todas as vezes que testei a demo, mas quem curte jogos caravan (o que não é o meu caso) vai provavelmente gostar. Não custa nada testar, não é?


GravArena (lançado em 17-AGO-2011, 80 MSP)
Mistura da jogabilidade de Asteroids com o conceito gráfico de Geometry Wars que é destinada basicamente ao multiplayer, sem uma campanha atrativa para quem queira jogar sozinho.
De acordo com o desenvolvedor, trata-se do "jogo perfeito para jogar com seus amigos"... Com os meus não, eu tô fora! No estado em que estou com relação a esses shmups arena genéricos eu prefiro chamar a gurizada pra curtir um Shaq Fu ou um Cosmic Carnage.


Chain Crusher (lançado em 30-AGO-2011, 400 MSP)
Horizontal com uma ideia diferenciada de jogabilidade, onde o objetivo é destruir os inimigos que se aproximam pela direita em explosões sucessivas. Aqueles que passam vão se acumulando no lado esquerdo e diminuem a área livre para manobras na tela.
No papel é bonito, mas na hora do pega-pra-capar o negócio não é tão interessante. O jogo aparentemente não sai do lugar e não tem fim, e o desenvolvedor alega que isso é "simples e excitante". Não pra mim.
Com 400 Microsoft points você pega o ótimo The Great Paper Adventure e ainda sobra pra arriscar em dois dos outros que custam somente 80.

Aviso: apesar de parecerem, informo que Zombies Hate Aliens!, Urgent Evasion e Space Bat não são jogos de nave. O primeiro é uma bobagem que deturpa a ideia de Space Invaders, o segundo somente se parece com Thunder Blade e o terceiro é um clone de Breakout.

Se vocês descobrirem algo mais sobre esses joguinhos, compartilhem informação conosco. Alguns deles podem não ser tão ruins quanto parecem!

6 comentários:

  1. Não joguei ,mas existe um Shmup vertical indie para PS3 , chama-se "Hitogata Happa", só para contrariar o lado "360" da força presente no post :P

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Leo, nem todo o histórico de shmups da PSN consegue chegar à quantidade de joguinhos desse post!
    Hitogata Happa é bem bom, tal qual os Gundemonium. Qualquer dia desses jogarei um deles a sério...

    ResponderExcluir
  3. The Great Paper Adventure foi uma dica incrível. Tô apaixonado por esse game. A trilha sonora é fantástica.

    ResponderExcluir
  4. Gostou, né, Mario?
    Eu fiquei com a musiquinha na cabeça uns dois dias! Hahahaha

    ResponderExcluir
  5. Sim! É como aquela música do "Saint Dragon" que repete infinitamente durante todo o game e que gruda na cabeça eternamente.

    ResponderExcluir
  6. Finalmente, algo pior que Decathlon e ET.

    ResponderExcluir